Pedágio na BR 470, do Alto Vale até o Litoral pode custar R$ 50 aos usuários

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Não há previsão para que todas as melhorias da rodovia mais importante do Vale do Itajaí, a BR 470 estejam concluídas. Abandonada, com grande fluxo de automóveis, com as obras de duplicação atrasadas, o que se sabe é o custo do pedágio. Deve ficar  entre R$ 20 e R$ 25 por cada 100 quilômetros de rodovia. A cobrança vai começar depois de rodovia ser repassada à iniciativa privada, no modelo de concessão. Como há previsão de duas praças de pedágios no trecho entre Pouso Redondo e Navegantes (175 quilômetros), o valor pode chegar a R$ 50 reais. Essa é a conclusão apresentado pelo diretor da Secretaria de Fomento e Parcerias do Ministério dos Transportes, Fabio Freitas, em reunião do ocorreu na semana passada com representantes do Fórum Parlamentar Catarinense

O grupo formado por deputados federais e senadores de Santa Catarina, é presidido atualmente pelo deputado federal João Paulo  Kleinübing (PSD). A reunião foi para tratar do modelo de concessão da rodovia à iniciativa privada, que deve ficar para 2018. O Governo do Estado estuda repassar ao projeto do Ministério,  a federalização da rodovia Jorge Lacerda (SC-412), entre Blumenau e Itajaí. Com 40 quilômetros, a SC-412, foi a primeira rodovia a ser asfaltada de Santa Catarina e corta as cidades de Gaspar e Ilhota. Ficou definida a inclusão de indicações e dados levantados pela SC Parcerias e ainda fazer uma audiência pública até o fim deste ano.

Com  350 quilômetros, a BR 470, tem contrato firmado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) para duplicar 73 quilômetros. Esse é o trecho entre Navegantes e Indaial, cuja duplicação, deve estar no edital de concessão da rodovia. Essas obras, andam a “passos de tartaruga”, como propaga entidades de classe empresarias em campanhas pela duplicação.  Para conclusão das obras em curso, estão previstos pouco mais de R$ 100 milhões para 2017. Esse valor deve agilizar as obras dos  lotes 1 e 2, entre Navegantes e Gaspar, já os valores para as desapropriações nos lotes 3 e 4, entre Gaspar e Indaial ainda não foram liberados.

A rodovia BR 470 será repassada à iniciativa privada só depois da conclusão das obras de duplicação. No próximo dia 21 de agosto, técnicos do Ministério, entidades de classe, governo do Estado e bancadas devem se reunir em Blumenau para alinhamentos no pré-projeto. Na ocasião, deverá ser apresentado o plano de concessão às entidades empresariais do Vale do Itajaí. Tanto a  duplicação como a concessão, são alternativas  para melhorar o fluxo e diminuir os acidentes, em 2016 foram 1.722. Com 89 mortes e   1.797 feridos.

Jornalista Alexandre Salvador

Este slideshow necessita de JavaScript.

Comentários