Hospital terceiriza serviços e PA deve fazer o mesmo

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

A terceirização dos serviços prestados no Pronto Atendimento Municipal e no Hospital e Maternidade Dona Lisette, parecem estar sacramentada. Integrantes da Comunidade Evangélica Luterana de Taió, mantenedora do Hospital e Maternidade Dona Lisette, aprovaram em assembleia na última terça-feira, (25/07), a proposta do Vidas Instituto de Assistência à Saúde, que propôs assumir os serviços do Hospital. Na tarde de quarta-feira, (26/07) a diretoria das duas entidades se reuniram no gabinete do prefeito Almir Reni Guski (PSDB) para comunicar o acordo. Na reunião, que teve a participação da secretária de Saúde, Rosecler Poleza Círico e vereadores, o grupo também discutiu os termos para que o Instituto Vidas assuma definitivamente os serviços no Pronto Atendimento Municipal.

Pelo contrato, a entidade vai assumir o Hospital no próximo dia primeiro de agosto. O diretor presidente do Vidas Instituto de Assistência à Saúde, Richard Choseki, disse que o tempo de transição será de pelo menos 90 dias. Com a nova entidade assumindo a gestão do hospital, será possível oferecer uma série de  especialidades médicas, exames e consultas, já que o Instituto Vidas possui uma cooperativa de profissionais que já atuam em várias cidade do Estado. O órgão, também gerencia hospitais e Prontos Socorros em parceria com os municípios onde atua.

O próximo passo, que está sendo finalizado será a terceirização do Pronto Atendimento (PA). O prefeito Almir Guski garantiu que vai dar certo, mas preferiu não adiantar os detalhes de como será o procedimento. O município deverá subsidiar parte dos custos operacionais, tanto do Hospital quanto do PA, também irá ceder alguns servidores. Outros devem ser remanejados dentro da Secretaria de Saúde.

Desde o início do ano, gestores da saúde municipal, do Hospital e do Instituto Vidas, que tem sede em Timbó, se reúnem com frequência para tratar do assunto. O primeiro passo foi contratação do próprio Instituto para fazer uma auditoria completa na área da saúde. A entidade, é especializada em gestão e prestação de serviços médicos e fez o diagnóstico da situação da saúde pública no município de Taió. No contrato licitatório, o Instituto Vidas também se comprometeu em dar consultoria junto à atenção básica e hospitalar, apresentando estudo e diagnóstico, com estratégias e metas tangíveis para o cumprimento nos próximos oito anos.

 

 

Comentários