Litoral de SC registra super maré seca

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Quem esteve em alguma praia do Litoral catarinense sábado (12), viu um cenário diferente. Em Balneário Rincão, por exemplo, o mar recuou cerca de 50 metros, diferente do que apontava a previsão para o fim de semana, de que haveria ressaca na costa do Estado. O que se confirmou foi o mar agitado e as ondas grandes, com poucas pessoas se aventurando a entrar na água, como alguns surfistas na Praia do Cardoso, em Laguna.

O fenômeno natural também foi registrado por internautas em Balneário Camboriú e Porto Belo.

De acordo com a Defesa Civil, o fenômeno de ‘maré seca’ ocorre devido aos ventos de Nordeste que sopram no litoral do Estado. Esses ventos carregam as águas do oceano. Como a Terra gira em torno de si mesma, essas águas são desviadas para a esquerda do vento no hemisfério Sul, fazendo com que o mar literalmente recue, causando maré seca nas praias, principalmente nos horários de maré astronômica baixa. Essa situação não é anormal, já verificada em outras vezes. Com o avanço da frente fria, esse padrão muda completamente ao longo do dia.

Segundo o climatologista Márcio Sônego, da Epagri de Urussanga, trata-se de um fenômeno natural, mas bastante curioso. “Na plataforma Norte do Rincão, a Epagri tem um marégrafo, que mede a maré no balneário, e, hoje, o aparelho registrou marcas abaixo do que estamos acostumados mesmo. A ressaca virou vazante, com mar agitado, mas recuado”, destaca Sônego.

Além disso, foram registrados ventos de até 60 quilômetros por hora. Também conforme a Defesa Civil, com o avanço da frente fria pelo Sul do Brasil, este padrão deve mudar completamente. A virada no tempo no Planalto Sul e Litoral Sul catarinense está prevista para a madrugada e manhã deste domingo (13), com a chegada de chuva, risco de temporais, rajadas de vento e granizo isolado.

Boatos

A Defesa Civil esclarece que a situação não é anormal e já foi verificada diversas outras vezes. Além disso, é necessário atenção aos conteúdos enviados via WhatsApp e Facebook: há fotos e vídeos antigos circulando. Alguns deles, portanto, não correspondem à realidade.

 

 

Fonte> Jornal Notisul

Comentários