Roubo de carga em Santa Catarina aumentou 274%

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

A Comissão de Transportes e Desenvolvimento Urbano da Assembleia Legislativa – presidida pelo deputado João Amin – realizou, na noite de ontem, audiência pública na cidade de Itajaí para tratar do alto índice de roubo de cargas na região. Na ocasião, ficou definido que a Comissão vai encaminhar o documento produzido na reunião ao governo do estado e aos órgãos competentes com intuito de cobrar ações efetivas de combate a este tipo de crime.

Só em 2017 foram 129 ocorrências em Santa Catarina, sendo que as BRs 101 e 470 são os alvos preferenciais da quadrilhas que agem fortemente armadas. Vale do Itajaí e o Norte catarinense são as regiões com maior número de casos, sendo que produtos alimentícios,cigarros, eletrodomésticos e produtos farmacêuticos são as cargas mais roubadas no estado.

O deputado João Amin, destacando números apresentados pela Fetransesc, afirmou que nos últimos 10 anos o roubo de carga em Santa Catarina aumentou 274%. “E nos últimos 18 anos mais de R$ 13 bilhões em produtos foram retirados da economia catarinense”.

Presidente da Fetransesc, Ari Rabaiolli, argumenta que o setor tem tido iniciativas para coibir as ações criminosas, mas é preciso ir além. As mercadorias roubadas vão para a prateleira e sem nota. Com isso há uma renúncia fiscal duplicada no estado. O presidente pediu aos deputados João Amin e Romildo Titon (PMDB) que tiveram a iniciativa da audiência, apoio ao Projeto de Lei 53/2017, que prevê a cassação da inscrição estadual de empresas receptadoras de carga roubada.

Vereador de Itajaí, Fernando Pegorini (PP) também cobrou maior efetivo policial para a região, principalmente pelo alto índice de ocorrências. “Por ser uma cidade portuária e as margens da BR 101, Itajaí tende a sofrer com este tipo de crime, que prejudica não a economia catarinense como um todo”.

Pegorini ainda lembrou que muitos caminhoneiros que saem da cidade com carga não chegam ao destino final, tendo em vista que Paraná e Rio de Janeiro também tem um índice de roubo de cargas alarmante. Delegado da Polícia Civil responsável pelas investigações de roubo de cargas no Vale do Itajaí, Anselmo Cruz fez uma comunicação que trouxe esperança aos empresários e trabalhadores do setor. “A Polícia Civil está criando uma diretoria, veiculada ao DEIC, especializada no combate ao roubo de cargas, o que deverá aumentar ainda mais o combate a criminalidade em Santa Catarina”.

Comentários