Amin diz que Hobus e Rodrigues querem ser vice do PMDB

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Em entrevista à Rádio Araranguá, o deputado federal Esperidião Amin (PP) e presidente estadual do partido, disse que quer garantir o PSD como principal aliado dos Progressistas nas eleições do ano que vem. O PP fará convenção nesta segunda-feira,  21/08 e Amin disputará a presidência com com o deputado Silvio Dreveck, que preside a ALESC.

Amin defende que o PP não deverá fechar questão com o PSD já, pois não há garantias de que o partido de Raimundo Colombo vai ter candidato à Governador e argumentou que o partido está rachado. Esperidião disse que o líder do PSD na assembleia, Milton Hobus e o deputado federal João Rodrigues, já se ofereceram para ser vice do PMDB e os deputados federais João Paulo Kleinubing e Cesar Souza estão próximos do Democratas.

O ex-governador disse também que o PP não tem candidato a governador, “neste momento”, e por isso é preciso deixar essa decisão para o início de 2018 e não tem problemas em apoiar Gelson Merísio. 

Também lembrou do pleito de 2014, precisamente no dia 21 de junho, quando a cúpula do PP recebeu uma carta do governador Raimundo Colombo, que era candidato à reeleição. O PSD se comprometeu a destinar a vaga ao Senado em sua chapa ao PP onde o pré-candidato era o deputado Joares Ponticelli.

No dia 27 de junho de 2014, o PMDB definiu na sua convenção estadual, que apoiaria Colombo e indicou Dário Berger candidato ao Senado. “Chegamos para a nossa convenção, no dia 30 de junho, o último dia, sem eira nem beira. Conversamos com o PSDB às 22h e o Joares aceitou ser vice do Paulo Bauer,” lembrou Amin.

O progressista disse ainda, que o PP não pode, ser mais fiel ao PSD do que “o próprio PSD, se eles não cumpriram, ou não puderam cumprir, um compromisso por escrito que assumiram com o PP.”

Por fim, Esperidião, indagou se o Governador Raimundo Colombo vai renunciar para disputar o Senado e ignorar o apoio do PMDB, do vice Pinho Moreira. Colombo poderia renunciar em dezembro ou janeiro, como pede os peemedebistas. “E se o Raimundo Colombo renunciar em março ou abril? Ele vai ser candidato (ao Senado) contra o PMDB?. Nós temos  história. O PSD foi criado há menos de quatro anos. Tudo isso tem que ser sopesado. No próprio PSD, existem deputados manifestando desejo de sair porque não concordam.

Hobus divulga áudio negando que é candidato

As declarações de Amin, que estava no Alto Vale quando concedeu a entrevista, obrigou o deputado Milton Hobus a divulgar um áudio onde contestam as afirmações do deputado federal. Hobus disse várias vezes que não é candidato a governador e nem a vice governador. Hobus também destacou que defende a aliança do PSD com o PP, cita que são partido coirmãos e que deve ao PP sua primeira eleição, quando foi eleito prefeito de Rio do Sul.

“Não conversei com o deputado Esperidião Amin, a quem respeito muito,  sobre este assunto. Aliás, não mantenho conversas regulares com ele. Todo o nosso partido sabe que sou um dos mais fervorosos defensores da candidatura própria. O deputado Gelson Merisio, que tem feito um trabalho excepcional, é muito inteligente, tem meu apoio incondicional e de toda nossa bancada.”  

E finalizou, “O PSD não vai se acovardar em Santa Catarina depois de um governo exitoso como o do governador Raimundo Colombo. E temos um candidato. O candidato é Gelson Merisio, que tem meu incondicional apoio e de toda nossa bancada”.

Rodrigues só não coligaria com PT e PCdoB 

O deputado federal João Rodrigues (PSD) reforçou em suas redes sociais, por meio de vídeos, que não estará em coligação política em 2018 que tenha apoio do PT e do PCdoB em respeito aos seus eleitores e aos seus adversários políticos. Segundo deputado federal mais votado no Estado, Rodrigues diz que fora essas siglas não descarta nenhuma aliança partidária, seja com o PP, PSDB, DEM, PR, PMDB, entre outras.

“Para o bem da região, para o bem do Oeste, nós não temos dois candidatos, nós temos só um. E o nosso candidato ao governo é o Merisio. Estamos juntos nessa caminhada, para fazer o certo, o correto”. Em relação às eleições presidenciais, João aponta como preferenciais do seu apoio: Geraldo Alckmin ou João Dória e Álvaro Dias.

Jornalista Alexandre Salvador

 

Comentários