Rio do Sul passa a contar centro especializado em saúde mental

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Com novo espaço, Secretaria de Saúde disponibiliza local específico para atendimento terapêutico. Rio do Sul passa a conntar com neuropediatriainédito em neuropediatria.

Esta quarta-feira (6) ficará marcada pela data da entrega oficial do Centro de Atenção à Saúde Mental em Rio do Sul. O local, criado pela Prefeitura de Rio do Sul, irá oferecer serviços nas áreas de psicologia, psiquiatria, neuropediatria, fonoaudiologia e nutrição. O novo espaço está situado na rua XV de Novembro, 118, no centro, no Edifício Marcon. A inauguração do espaço terapêutico coincide com a época em que é lançada a campanha Setembro Amarelo, em alusão ao combate e prevenção de suicídios.

Segundo o vice-prefeito de Rio do Sul, Paulo Cunha, a ideia do novo espaço é descentralizar os serviços que, até então, eram realizados na Policlínica. “Devido à demanda resolvemos criar um local específico para tratamento de saúde mental”. A unidade irá tratar a saúde de forma ampla, porém o foco são crianças e adolescentes.

“Nossa região tem registrados altos índices de suicídios. Temos que mudar esse panorama. E nós, como gestores públicos, nos sensibilizamos com a causa. Trata-se de uma questão de saúde pública emergente. Queremos reintegrar o jovem que necessita de reabilitação e trazê-lo de volta, recuperado, para o seu lar e convívio com sociedade”, argumenta Cunha.

Conforme levantamento da Secretaria de Saúde, em 2017 Rio do Sul tem registrado cerca de um suicídio ao mês. Quadro semelhante ao do ano anterior. O vice-prefeito cita ainda a importância da parceria firmada entre o poder público e organizações não governamentais (ONGs).

Neuropediatria

A secretária de Saúde, Sueli Oliveira, comenta que Rio do Sul era carente de um espaço dessa natureza. Até o mês passado as consultas de crianças e adolescentes com deficit de atenção e com necessidade de atendimento psiquiátrico eram cadastradas no setor de Tratamento Fora de Domicílio (TFD), na Policlínica. Assim, os pacientes eram encaminhados para cidades como Florianópolis e Blumenau. “Com a inauguração do Centro de Atenção à Saúde Mental a nossa cidade passa a ter autonomia para atender crianças e adolescentes rio-sulenses”.

Ainda não é possível precisar a demanda. Porém, a secretária afirma que os atendimentos no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) são de cerca de cinco mil pacientes. Sueli explica que a equipe do novo centro será formada, de início, por três psicólogas, um psiquiatra, um neuropediatra, duas fonoaudiólogas e duas nutricionistas. Parte desse grupo será formada por profissionais que atuam no CAPS. Com exceção das psicólogas, que irão realizar atendimento geral (de crianças a adultos), os demais profissionais irão focar no atendimento infantil e juvenil.

Durante a inauguração, o prefeito José Thomé assinou decreto de nomeação de três novos psicólogos aprovados em concurso público para atuação específica nas unidades de saúde. “Queremos ampliar a rede, levar o serviço para mais próximo do cidadão, e que ele possa de uma forma prática, ter acesso aos serviços especializados”.

Como funciona

As consultas no Centro de Atenção à Saúde Mental irão funcionar da mesma forma que as demais consultas médicas oferecidas pela Secretaria de Saúde. É necessário que o paciente consulte com o clínico geral na unidade básica de saúde da região em que reside e o médico irá fornecer o encaminhamento. Só então o paciente irá até a sala três da Policlínica (marcação de consultas) para agendar horário com os médicos especialistas. O horário de funcionamento do novo espaço é de segunda a sexta-feira das 8h às 12h e das 14h às 18h.

 

Comentários