Rio do Sul está prestes a zerar fila de ultrassons ainda em setembro

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Mais da metade dos procedimentos do Programa Ultra Zero já foi realizado e até o fim do mês todos os exames serão agendados

O Programa Ultra Zero de Rio do Sul já passou dos 50% dos atendimentos em um mês de ação. Como o próprio nome indica, a proposta da Secretaria Municipal de Saúde é reduzir a zero o tempo de espera para pacientes realizar exame de ultrassom. A iniciativa começou no dia 12 de agosto, por meio de mutirão, e o encerramento será dia 30 de setembro. Os atendimentos são feitos no Centro de Atendimento a Mulher (CAM).

Pelo menos 840 exames já foram realizados. “Na proporção, já ultrapassamos a meta. Agora é atingir o objetivo final da campanha de 1,6 mil”, diz a enfermeira obstetra do Centro de Atendimento a Mulher (CAM), Cristiane Stedile. A demanda por esse tipo de exame é constante. O centro é responsável por atender cerca de 400 ultrassons/mês.

O ultrassom é uma etapa da consulta para complementar o diagnóstico médico. É parte integrante de diversas ações preventivas como: eventuais riscos de gravidez, acompanhar desenvolvimento do feto, complicações em aparelho urinário dentre outras. “Além da prevenção, os objetivos principais são identificar casos de doença e gravidade”, diz a enfermeira Cristiane.

Desde junho um novo equipamento também contribui para a agilidade no atendimento. “Havia casos em que era necessário encaminhar parte da demanda para laboratórios parceiros. Hoje o CAM atende toda a comunidade que procura o serviço. Fizemos um investimento de cerca de R$ 80 mil para a compra de uma nova máquina de última geração”, frisa secretária da Saúde, Sueli de Oliveira.

A secretária explica sobre a então demora nos atendimentos. “Havia exames represados desde o ano passado. Iniciamos 2017 com atendimento de pacientes que já estavam na fila há cerca de sete meses. Hoje afirmamos que a demanda antiga já foi cumprida. O mutirão foi decisivo para que isso acontecesse”.

Com o adiantamento nas consultas a perspectiva é outra. “Agora temos a expectativa de zerar a fila de espera”, aponta a secretária. O desafio a ser encarado pela organização do programa Ultra Zero é também atender a demanda atual. Sueli afirma ainda que a demanda é de cerca de 400 pacientes/mês. O atendimento é realizado por um médico acompanhado de um profissional de Enfermagem e o perfil atendido pelo CAM é variado desde bebês até idosos na faixa dos 90 anos.

Gravidez despreocupada

A gestante Carline Alexandre da Cruz deve ter bebê ainda nesta semana. E desde o início da gestação ela pôde contar com atendimentos na saúde pública. “Esperei três meses para realizar o 1º procedimento, mas depois do mutirão a espera caiu para 20 dias. Essa diminuição foi importante para me tranquilizar como mãe. Ao todo, fiz três ultrassons para acompanhar o desenvolvimento do feto”, detalha.

A futura mãe se sente mais tranquila na reta final da gestação, mesmo tendo adquirido diabetes gestacional. Os exames médicos apontaram que não houve interferência na saúde e desenvolvimento do bebê. “Com o diabetes precisei aumentar a atenção. O meu aumento de peso alterou o metabolismo e fez com que o bebê crescesse mais rápido que o normal. O acompanhamento médico evitou que houvesse maiores complicações. Eu me senti mais tranquila. Agora curto a ansiedade natural da fase, mas tenho a tranquilidade de saber que tudo está sob controle”, pondera Carline que está à espera de uma menina.

Passo a passo

Para fazer ultrassom é necessário que o paciente seja consultado por um médico do próprio bairro (unidade básica de saúde). O profissional irá, conforme cada situação, fornecer o encaminhamento para o exame, que pode ser feito no CAM ou em laboratórios conveniados com a prefeitura. Com o encaminhamento os funcionários do centro tiram dúvidas, dão orientações sobre os pré-requisitos (jejum obrigatório ou não, cuidados diferenciados e afins) para fazer os exames. Em seguida é emitido um protocolo com data e hora dos exames. Esta ação foi criada para melhorar estratégia de comunicação entre médico e paciente.

Caso o paciente já tenha feito exame anterior é imprescindível que o documento seja levado para avaliar o histórico. Pede-se para comparecer com 15 minutos antecedência e munido da carteira do SUS. É importante que quem esteja no aguardo para ser chamado tenha o cadastro atualizado. O CAM convoca os pacientes por telefone. Também é fundamental fornecer telefones para recado. O telefone do CAM é: 3525-3586.

Comentários