Contas públicas do Estado em debate na ALESC

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

A situação das contas públicas estaduais voltou ao debate na Assembleia Legislativa, causando divergência entre os parlamentares. “Santa Catarina está em segundo lugar entre os estados que mais promove gestão pública, em 2011 ocupávamos a sétima posição, estamos em primeiro na segurança e na vanguarda da responsabilidade social”, informou Gabriel Ribeiro (PSD) na sessão desta quarta-feira (20), referindo-se ao ranking elaborado pela Tendência Consultoria Econômica.

Ribeiro ironizou os críticos do governo Raimundo Colombo. “O governador trabalha com gestão, aperta nos gastos, mas tem aqueles que torcem para o touro e não para o toureiro”, comparou o deputado.

Darci de Matos (PSD) concordou com os colegas. “A imprensa nacional constatou e só não enxerga quem não quer: o estado está com as contas equilibradas e tem os melhores índices de sustentabilidade do Brasil”, garantiu o líder do governo.

Fernando Coruja (PMDB) discordou. “Em eficiência da máquina pública o Rio Grande do Sul é o mais eficiente, mas está parcelando salário e Santa Catarina está em sétimo; em solvência fiscal caiu quatro posições, passou de 12º para 16º; no resultado nominal está em 19º, caiu sete posições. Minha preocupação é com as contas públicas, o resultado fiscal e o resultado nominal estão piorando”, alertou Coruja.

Altair Silva (PP) ponderou que o estado não aumentou impostos, apesar dos nove trimestres consecutivos de PIB negativo no país. “Santa Catarina tem conseguido se destacar nas adversidades e o principal ponto a comemorar e o fato de não ter aumentado impostos”, avaliou o representante de Chapecó.

Comentários