Coral Fridas confirma presença na Oktober 2018

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O Coral Fridas de Taió, garantiu participação especial na Oktoberfest 2018, e será em “horário nobre”, comemorou a coordenadora do coral, Denize Purnhagen. O grupo de cantoras de dança alemã, teve participação especial na Oktoberfest de Blumenau deste ano, tanto no desfile da rua XV de Novembro, quanto na apresentação do pavilhão da festa, na Vila Germânica.

A ida à festa mais alemã do Brasil, contou com a ajuda do vice-prefeito de Blumenau, Mário Hildebrandt, que é natural de Taió. “Fomos em uma comitiva para Blumenau, onde foi exposto esse projeto das Fridas e nesse meio tempo, com aval do prefeito de Blumenau, Napoleão Bernardes e do secretário de turismo, nos deram essa oportunidade”, contou a coordenadora.

Denize relatou que não é muito fácil entrar na programação da Oktoberfest, por ser uma festa disputada por músicos de todas as regiões, por isso é muito concorrida. “Eu precisei retornar à Blumenau em outra oportunidade, para falar do projeto, falar sobre as músicas e sobre a performance”. Além de coordenar o Coral, Denize Purnhagen, é professora de canto e música da Casa da Cultura e foi a idealizadora do projeto. Ela conta que a ideia partiu do intuito de resgatar a cultura alemã, a música e o idioma alemão na cidade.

“Acabou indo de encontro com um sonho muito pessoal, de também estar participando do projeto, mulheres e público adulto. Porque eu sempre trabalhei com crianças e adolescentes nos meus corais e já haviam me pedido para fazer algo, voltado para o coral adulto”.

A professora também foi idealizadora do coral das Meninas Cantoras e dos Meninos Cantores de Taió e viu nas comemorações do Centenário de Colonização do município, uma oportunidade de colocar o projeto das “Fridas” em prática. “Então tudo foi se fechando e a programação do centenário foi a principal motivação. Aí eu achei que seria a hora de estar preparado algo, depois as coisas foram acontecendo naturalmente”.

O desfile pela principal rua da cidade de Blumenau é uma atração à parte, e Denise relatou que foi muito gratificante e emocionante ver as pessoas interagirem, cantando as músicas do coral e imitando as coreografias. “Foi um sonho vivido!! Morei tantos anos em Blumenau e nunca imaginei que um dia estaria do outro lado do desfile. O dia chegou e foi lindo”, relatou a participante do coral, Patricia Anderle Schreiber. A integrante Vivian Fach, destacou a importância e responsabilidade do grupo em representar o município. “Foi um sentimento de alegria e satisfação. Representar a cidade de Taió foi tremendo”.

Para 2018 a maestrina pensa em criar um corpo coreográfico com dançarinas, além de ampliar o repertório de músicas. “A ideia é fazer um repertório bem alegre, estou indo para Blumenau na festa novamente, para fazer um trabalho de pesquisa. Em termos de repertórios, para ver o que agrada mais o público. Quais as músicas que as pessoas se motivam, será em cima desse resultado que iremos trabalhar”.

São mais de 30 intrigantes que ensaiam toda semana. “O trabalho parece só alegria, mas dá muito suor também, são muitas horas de ensaio, elas ensaiam todas as terças-feiras, eu gravo os áudios, elas têm as tarefas para ensaiar em casa”.

Em 2018, o coral já convite para retornar e fazer parte da programação oficial da festa novamente. “E eles querem a gente no horário de maior público da festa, a noite. Aí a responsabilidade é grande e queremos fazer algo que possa ficar na história, se eles querem a gente em horário nobre, precisamos nos aprimorar e fazer alguma apresentação a altura dessa grandiosa festa”.

Além da Oktoberfest, o Coral já se apresentou em vários eventos da região, como a Festa do Mel em Santa Terezinha, e já tem convites para apresentação em Pomerode, considerada a cidade mais alemã do Brasil. No dia 21, o grupo se apresenta na festa XVII Deutschenfest (baile do Chopp) em Taió e no dia 9 dezembro na Weihnachtsmarkt em Ibirama.

Denize lembrou que o sucesso da apresentação em Blumenau foi graças ao apoio do músico, Aluízio Felizardo, o Baby que auxiliou com os arranjos e o professor Napoleão Rodrigues, e no desfile o apoio do grupo de dança alemã, assim como a direção Casa da Cultura, a Cristiane Sandri e os familiares das integrantes. Também foi indispensável o apoio da Administração Municipal de Taió, através da Secretaria de Educação.


Como se vestir de Frida

Frida, é um nome típico alemão, mas na Oktoberfest representa a mulher vestida com o “traje típico alemão feminino”. Quem usa o traje típico alemão masculino é chamado de Fritz.

Entre os itens que contemplam o traje da Frida estão as tiaras floridas, o avental e o colete. O avental, também de uso opcional, quando utilizados devem ir até quatro dedos acima do comprimento do vestido. Na maioria das vezes, contém as cores e tons do traje completo. A blusa de cor clara ou xadrez, com mangas com tecido volumoso (bufante).

Os vestidos possuem detalhes bordados, ou em renda, originalmente longos ou até a altura do joelho, com tolerância de quatro dedos acima dele (sugestão do uso da bombacha – ceroula típica feminina germânica).

Se usar meias, a Frida deve optar pelas polainas, que devem ir até o joelho ou um palmo abaixo. Podem ser substituídos por polainas alemãs – canos de meias em tricô – na altura da panturrilha.

O calçado pode ser sapatos, botas de cano curto ou sapatilhas fechadas, sem deixar os dedos e calcanhar à mostra. Devem ser nas cores caramelo, marrom, preto ou cinza, sendo permitido serem em degradê.

TEXTO: Alexandre Salvador

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Comentários