Agronômica desenvolve programa para conter avanço de mosquitos

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O departamento de Agricultura da Prefeitura de Agronômica vai começar a aplicar um produto para conter o avanço dos mosquitos na estação do Verão. A primeira aplicação do produto deverá ser feita no sábado. Ele será aplicado nos córregos e rios do município. Aproximadamente 40 voluntários deverão participar da ação. Epagri, Cresol e Câmara de Vereadores são parceiros do evento.

“O programa só será desenvolvido porque houve uma grande mobilização para realizar a aplicação. Estamos muito satisfeitos com as parcerias que fechamos e os voluntários que aceitaram nos ajudar”, revelou o prefeito de Agronômica, Cesar Cunha.

Um dos maiores problemas enfrentados no verão é controlar o avanço do mosquito borrachudo. A base do produto é uma bactéria, o bti, que mata a larva do inseto. O inseticida é diluído em água na proporção adequada e espalhado pelo riacho. Em poucos segundos, forma-se uma espuma. Segundo estudos da Embrapa, o inseticida não faz mal à saúde das pessoas, de peixes e de outros animais.

“O produto já foi comprado. Espero que todo este esforço que estamos fazendo ajude a conter o avanço dos mosquitos”, salientou o diretor do Departamento de Agricultura da Prefeitura de Agronômica, Cristiano Rosa.

Além da aplicação do inseticida, o morador pode tomar outras medidas que ajudam a controlar o borrachudo. Recuperar a mata das margens dos riachos diminui a temperatura do ambiente e mantém os predadores naturais do inseto. Não jogar lixo no riacho também ajuda muito no controle dos borrachudos porque, além de pedras e folhas, as larvas gostam de se fixar em sacos plásticos jogados na água.

O borrachudo não gosta de água parada, e quanto mais sujeira tiver melhor. As larvas se alimentam de matéria orgânica por isso, lixo e dejetos de animais são o combustível para o criatório do borrachudo. Eles gostam de voar durante o dia, com sol quente, são nativos da Mata Atlântica e bem pequenos. Alguns podem transmitir uma doença chamada oncocercose que provoca caroços na pele.

A picada tem uma justificativa. A fêmea se alimenta do sangue de mamíferos. Portanto, quem pica é a borrachuda. Coça porque quando o inseto pica, injeta uma substância que provoca uma reação alérgica na pele.

A fêmea adulta deposita os ovos em folhas e galhos submersos em água corrente dos riachos. Os ovos viram larvas e pupas, e depois de 25 dias o adulto sai de dentro da água. Quando a fêmea é fertilizada, procura um mamífero para picar, porque o desenvolvimento dos ovos que ela carrega depende da proteína do sangue, que pode ser o de um ser humano.

Comentários