Professores elaboram proposta de reestruturação curricular de Rio do Sul

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Proposição será encaminhada para Conselho de Educação. Intenção é reestruturar grade de ensino de 2018

Professores e equipe pedagógica das escolas integrais Ella Kurth e Centro Educacional Prefeito Luiz Adelar Soldatelli – Ceplas se reuniram nesta semana para finalizar proposta de reestruturação curricular. A reunião aconteceu na Unidavi e contou com cerca de 50 integrantes, dentre professores, diretores e pedagogos.

A meta é reestruturar a carga horária das disciplinas curriculares, conhecidas como base comum, com uma lista de atividades complementares chamada de grade diversificada.

A qual inclui a retomada de ações educativas em diversas áreas, como: música, teatro, dança, empreendedorismo, raciocínio lógico, iniciação ao primeiro emprego entre outras. A Secretaria de Educação (Seduc) irá finalizar a justificativa e modelo de matriz e encaminhar ao Conselho Municipal de Educação. Ainda não é possível estipular o prazo para o trâmite, mas a expectativa é que o órgão avalie e dê uma resposta ainda este ano. Caso a alteração seja aceita, a nova grade entra em vigor em 2018.

As reuniões para tratar do assunto foram iniciadas em maio. Houve a participação de professores de todas as disciplinas das duas escolas integrais dos bairros Barragem e Rainha. Assim, foi feita a análise da grade atual e sugeridas alterações para diversificá-la. “No dia 25 de outubro realizamos a última reunião para elencar as sugestões dos educadores”, explica a diretora de projetos educacionais, Adriana Bonaldo. Nesta etapa final participaram equipe pedagógica da Seduc e diretores de ambas as escolas.

A nova proposta foi elaborada com consentimento de professores. “Nós nos baseamos na produtividade. Agora será montado parecer a ser enviado ao Conselho Municipal de Educação. Após a análise do órgão haverá uma sessão extraordinária para aprovação ou não da proposta”, explica a secretária de Educação, Janara Mafra.

Desde 2013 a estrutura curricular não contempla atividades extraclasses como música, teatro, técnicas de empreendedorismo e educação ambiental e alimentar. O projeto inclui, por exemplo, a adição de aulas de oratória como atividade complementar. O aprendizado de disciplinas como história e geografia seria interconectado com estudos regionais. A carga horária destinada exclusivamente para educação física seria aglutinada com aulas de dança, recreação e esportes coletivos. “A iniciativa serve para fomentar o programa de incentivo de talentos dos alunos. Temos grandes potenciais para esporte, xadrez, oratória, dança e música”, diz a diretora.

A proposta de professores foi definida em consenso com o professorado do Ella Kurth e Ceplas. Não terá aumento de carga horária, só pode haver o remanejamento e incremento daquelas disciplinas de base diversificada. “Tudo que você oferece a mais é uma forma diferenciada de aprender. Abre as portas do conhecimento para que o universo do aluno se torne ilimitado e aumenta a bagagem cultural. É uma maneira do estudante se apropriar de conceitos próprios e aprimorar a visão de mundo”, diz Adriana.

TEXTO: Mário Dáud

Comentários