Prefeito condenado por arremessar copo contra ex-vice-prefeito

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

A segunda Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, decidiu por unanimidade julgar procedente uma acusação contra o prefeito de Aurora, Alfonso Maria Souza, o Fumo (PMDB). O julgamento presidido pela desembargadora a Salete Silva Sommariva, condenou Fumo a pena de três meses de detenção, inicialmente no regime aberto pela prática do crime previsto no artigo 129 (lesão corporal) e suspensão dos direitos políticos.

O fato teria ocorrido em no dia 6 de dezembro de 2014, no Centro Esportivo Deonas, na da cidade de Ituporanga. Fumo teria ofendido a integridade física de Nicolau Kohn, ao arremessar um copo de vidro em seu rosto, causando lesões corporais, conforme o laudo pericial. Depois do recolhimento da denúncia, foram ouvidas quatro testemunhas, mas só uma confirmou que o copo partiu das mãos do prefeito.

O Ministério Público em suas alegações finais, disse que foram devidamente comprovadas a materialidade e autoria do crime e por isso requereu o acolhimento da denúncia da condenação do prefeito. No depoimento, Fumo negou ter arremessado o copo, disse que Nicolau o empurrou e que só revidou, também argumentou que Kohn, não honrou uma dívida, quando os dois disputaram a prefeitura de Aurora. Fumo se elegeu prefeito pela primeira vez em 2010, Nicolau era seu vice, mas os dois romperam a amizade durante a gestão.

Nicolau alegou que evitava manter contato com Fumo desde então, e que não viu ele no caminho. Disse que foi até o banheiro do centro esportivo, e se tivesse visto Fumo, teria evitado o local e que ao passar por ali acabou encostando nele ocasião em que recebeu o golpe com copo de vidro no rosto. Nicolau acrescentou que os dois compartilharam de um passado de muita amizade na política municipal e negou ter dívidas com o prefeito.

Djon Lennon Espíndola, garçom do centro esportivo, declarou que viu Nicolau tentar cumprimentar Fumo, que rejeitou a tentativa de saudação e reagiu lançando um copo de vidro na direção de Nicolau. Lauri do Rosário que socorreu fumo prestou auxílio no banheiro para limpar os ferimentos declarou não saber quem foi o responsável pelo golpe com o copo, mas percebeu que objeto foi arremessado na direção da vítima.

A advogada de Fumo, Fabiana Linhares confirmou a condenação penal, mas que ainda não foi intimado de nada, e por isso não considera a hipótese de perdas dos direitos políticos. “Mas nós fizemos o recurso, e não tem a menor cabimento esta condenação, pois s suporta lesão corporal aconteceu por conta de um copo que voou num local onde havia mais de 200 pessoas. Daí o adversário político sai de lá e diz que quem jogou o copo, que bateu na minha testa foi o Fumo”, argumentou a advogada.

Fabiana disse que apenas uma pessoa testemunhou e disse ter visto o ato do prefeito. “Das cinco testemunhas ouvidas, só uma disse ter visto, as outras que estavam lá não viram. Além disso, essa testemunha era um garçom, e que por um acaso é sempre contratado pela vítima”. A advogada relatou que o garçom sempre trabalha em eventos esportivos organizados por Nicolau. “São inúmeros eventos, é só olhar no Facebook do Nicolau”. Por fim, concluiu que já existe uma revisão criminal em andamento e que pode beneficiar o prefeito.

Prefeito arremessa tijolo contra adversário político

TEXTO: Alexandre Salvador

 

Comentários