Dono da Havan sai do PMDB e pode ser vice de Bolsonaro

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Após pedir desfiliação do PMDB e anunciar a possibilidade de disputar a eleição deste ano, o empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, foi convidado a ser vice na chapa do presidenciável deputado federal Jair Bolsonaro.

Fontes próximas ao empresário confirmaram uma ligação, no domingo 07/12, de Bolsonaro para que Hang, onde o deputado pediu para que o empresário integre a chapa ao Planalto. Hang ficou de analisar o convite e tem até abril para se filiar a um partido e confirmar candidatura.

Na sexta-feira, Bolsonaro anunciou sua filiação ao Partido Social Liberal (PSL) e, com isso, passa a ser o pré-candidato do partido à Presidência da República. O anúncio da filiação foi feito em conjunto com o presidente do partido, Luciano Bivar.

Em nota divulgada à imprensa, Bolsonaro afirma que considera “prioridades para o futuro do país” o pensamento econômico liberal, o direito à propriedade privada e a valorização das Forças Armadas e de segurança. O PSL será o sétimo partido do deputado ao longo de sua carreira.

Hang já demonstrou por várias vezes ser alinhado ao pensamento de Bolsonaro, considerado um político radical. Na coletiva de sexta-feira, 05/01, o empresário afirmou que é preciso ser radical para poder fazer as mudanças que o país precisa.

“Se você tem o país virado de cabeça pra baixo, pra virar de cabeça pra cima tem que ser radical, tem que fazer muitas mudanças, senão, não vamos sair do lugar”.

A coletiva no centro administrativo da empresa, em Brusque, o empresário “colocou o nome a disposição” , esse fato, muda o cenário das eleições em 2018. O empresário de Brusque fez um relato sobre o sistema eleitoral brasileiro e defendeu a privatização dos Correios, Petrobrás e outras estatais. Ele deixou claro que  poderá concorrer ao governo do estado nas eleições deste ano, ou até mesmo, apoiar um candidato.

Hang que estava filiado ao PMDB desde 1985,  pediu desfiliação ontem (04/01). Uma carta endereçada ao presidente municipal do partido, Valdir Wilke, informava que o pedido de desfiliação se deu “em caráter pessoal”.

Ele teria até abril para escolher uma nova legenda, prazo estabelecido por lei,  ainda não se sabe qual será o rumo político de Hang. No fim do ano passado, o dono da Havan, esteve reunido  com o presidente estadual do PMDB, o deputado federal Mauro Mariani, na sede da empresa e adiantou que não disputaria eleição.

Os rumores sobre sua saída do PMDB também surpreenderam os membros do partido em Brusque porque ele, atualmente, apoia o governo do qual a sigla faz parte.

Há muito tempo vem se cogitando o nome de Hang para um cargo público estadual ou até mesmo federal, entretanto, até o momento, ele sempre negava, alegando que poderia contribuir com a população continuando apenas no setor privado.

Ele comentou sua saída do PMDB, partido do amigo Luiz Henrique da Silveira. “Não tenho filiação política. Tinha, até ontem. Era uma coisa de coração, porque fui envolvido em movimentos estudantis, mas dei fim à filiação”.

 

Trajetória de Luciano Hang

Nascido em 11 de outubro de 1962, no Bairro Águas Claras, em Brusque (SC), mesma cidade onde deu início à história da Havan, em 1986, e na qual continua morando. É filho de operários da indústria têxtil: o pai e a mãe trabalharam, respectivamente, por 40 e 30 anos na Fábrica de Tecidos Carlos Renaux, onde o próprio Luciano atuou por sete anos.

Estudou na Escola Básica João XXIII, no Colégio Cônsul Carlos Renaux e na Universidade Regional de Blumenau (tecnólogo em Processamento de Dados). Ainda na escola primária, descobriu ser um bom líder, ao ser nomeado representante de classe e presidente do Grêmio Estudantil. Já no ensino superior, foi presidente do Clube dos Estudantes Universitários de Brusque (CEUB) por três anos. Disléxico, durante a idade escolar procurou superar a dificuldade de aprendizado com muita leitura de livros e gibis e se dedicou com afinco a outras áreas do conhecimento. Hoje, é um grande incentivador da disseminação de informações sobre dislexia.

Em 1986, aos 24 anos, percebendo que Brusque ganhava um novo impulso econômico baseado no turismo de compras, Hang não perdeu tempo. Junto a um sócio, abriu uma pequena loja de 45 metros quadrados na rua Primeiro de Maio para vender tecidos. Da junção dos nomes Hang e Vanderlei (o sócio), surgiria a marca Havan, reconhecida como a maior rede de lojas de departamentos do Brasil, com mais de 100 lojas.

FOTO: DIMAS FREITAS/JORNAL METAS

 

LIVE da entrevista

 

Comentários