Infraero assume Aeroporto de Correia Pinto

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O governador Raimundo Colombo assinou a ordem de serviço para que a Infraero inicie a administração, operação e manutenção do Aeroporto Regional do Planalto Serrano, em Correia Pinto, na Serra catarinense. O contrato tem duração inicial de 12 meses, sendo renovável ao final do prazo de vigência, e prevê um custo mensal de R$ 127.953,96. O aeroporto já está equipado com sinalização e segurança adquiridos e que são necessários para o cumprimento das próximas etapas.

O prédio está pronto e, agora, começa a administração. E segundo o governador, o aeroporto vai cumprir um papel estratégico de integração e desenvolvimento para toda região. Os equipamentos adquiridos são os mais modernos e completos que têm na aviação brasileira para aeroportos deste porte. Para a compra, foram investidos R$ 4,5 milhões pelo Governo do Estado.

Neste primeiro período em que o Aeroporto Regional do Planalto Serrano não tem operações de pousos e decolagens, a Infraero ficará responsável pela ocupação do espaço físico, limpeza e manutenção da área, além de buscar a homologação do aeródromo junto aos órgãos reguladores, como a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e o Segundo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta II).

O diretor de Transportes da Secretaria de Infraestrutura, José Carlos Muller Filho, explicou que, para o funcionamento do aeroporto, o primeiro passo é obter a homologação visual, para, na sequência, buscar a homologação por instrumentos, para então transferir os voos de Lages para Correia Pinto. “A expectativa é começar a receber voos de aviação geral diurnos já no segundo semestre e voos por instrumentos até o final de 2018. Tudo depende da homologação dos órgãos reguladores”, disse.

O representante da Infraero, Aldair Rizzi, destacou que a empresa vai cumprir todas as exigências da Anac para ter condições de receber voos comerciais. “É uma iniciativa muito importante para o desenvolvimento regional. Já temos uma superintendente que vai cuidar dos trabalhos aqui, a Márcia da Silva Santos e, posteriormente, serão contratados os funcionários terceirizados. Com certeza, o funcionamento deste aeroporto é um grande ganho para Santa Catarina”.

Comentários