Comitiva vai à Floripa “averiguar” situação da SC 425

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Uma comitiva da Prefeitura Municipal de Mirim Doce esteve em Florianópolis buscando informações sobre a SC-425. O prefeito Sérgio Luiz Paisan, o vice Antônio Carlos Kestring, o chefe de gabinete Mailon José Espindola e a residente do ENA (Fundação Escola do Governo) Cassia Fernanda Silva foram até a capital para tomarem conhecimento em que pé anda os trâmites da obra. Estiveram na Secretaria de Planejamento conversando diretamente com o secretário de Estado, Murilo Flores.

O prefeito Serginho disse que pela situação financeira do estado atual e por ser um ano eleitoral, somente o projeto será elaborado. “Conforme o secretário Murilo após a entrega da ordem de serviço a empresa vencedora, o prazo para conclusão será de no mínimo oito meses” explicou o prefeito. Eles estiveram na Capital no dia 14 de janeiro.

Como já publicado pelo OBV, em reportagem dia 07 de dezembro, não há expectativa da revitalização da rodovias, antes de 2020.

Serginho ainda disse que necessitará de muita força política para conseguir incluir a revitalização no próximo BID. “A Administração Municipal de Mirim Doce e vereadores continuam com o desafio de resolver esse problema que se arrasta por mais de uma década”.

O Deinfra escolheu a empresa para elaborar o projeto executivo da obra, no dia 12 de dezembro de 2017. A Sotepa, terá 90 dias, depois de receber a ordem de serviço, para fazer o levantamento. Essa empresa, já fez um levantamento da situação da rodovia,  quando contratada pelo Estado. Os  dados serviram de base para processar a A.Mendes, empresa que executou a obra.

ENTENDA

O projeto com a reforma dos 7,8 quilômetros da rodovia, está em tramitação no Deinfra. Esse será o terceiro processo licitatório para concluir  a pavimentação da rodovia SC-425. Mesmo antes da inauguração oficial, em 8 de dezembro de 2011, os problemas começaram a aparecer em vários trechos. A construção da rodovia foi dividida em duas etapas.

A empresa Ciro Odebrecht, de Blumenau foi contratada pela prefeitura de Pouso Redondo e fez a primeira etapa partindo da BR 470 até a divisa com Mirim Doce, totalizando 2,7 quilômetros. A empresa faliu antes de concluir as obras, o município de Pouso Redondo entrou com ação na justiça.

A empresa A.A. Mendes, foi contratada pela SDR de Taió, para fazer a segunda etapa com 5,06 quilômetros. Foram duas licitações, uma no valor de R$ 3.301.672,76, cuja ordem de serviço foi assinada na Câmara de Vereadores de Mirim Doce, em 30 de novembro de 2007.

A segunda licitação, no valor de R$ 4.448.251,87, também vencida pela A.A. Mendes. A Secretaria de Desenvolvimento Regional de Taió entregou no dia 20 de outubro de 2009 a ordem de serviço para a conclusão da obra. Como não foi concluída, o Estado deixou de repassar à empresa R$ 307.000,00. A empreiteira também foi acionada  judicialmente.

 

Comentários