Reunião define tombamento da ponte Roberto Machado

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Representantes da Câmara Técnica do Turismo de Taió discutem como será o projeto de revitalização da Ponte Roberto Machado. Na quinta-feira (25), o Prefeito Almir Guski foi convidado a participar de uma reunião para abordar sobre o mesmo assunto, junto com representantes e acadêmicos do Centro Universitário Leonardo da Vinci (Uniasselvi) também estavam presentes.

A reunião abordou pontos importantes para preservação do monumento histórico, como por exemplo, o tombamento da ponte. O professor Fiorelo Zanella, comentou sobre esta sugestão, e o professor Frank Dieter Schulze, especialista em Projetos de História da Arquitetura e Desenho Técnico aconselhou a ideia. Segundo Fiorelo, “a ponte deve ser tombada da maneira em que se encontra para depois se definir o que será feito dela”.

O professor falou ainda de outras sugestões, como a criação de um decreto para regulamentar a Lei do Tombamento, a criação dos Livros Tombos e de um Conselho Municipal de Proteção ao Patrimônio Histórico.

Os acadêmicos da Uniasselvi das quatro fases do curso de Arquitetura e Urbanismo utilizam a ponte como ambiente de estudo desde setembro de 2017. Neste tempo, os futuros Arquitetos fazem o trabalho de levantamento das informações necessárias do atual estado da ponte, como o levantamento topográfico de toda ponte e sua poligonal, além da medição estrutural e cobertura da ponte, bem como a possível recuperação da mesma para eventual uso dos taioenses.

O tombamento da ponte ainda será estudado, mas umas das decisões da reunião foi a predefinição do uso exclusivo da ponte para pedestres e ciclistas, e a realização de eventos específicos no interior.

Entre estes eventos, foi citado sobre feiras, venda de artesanatos, mercado das pulgas, exposições, lançamentos de livros, e ensaios fotográficos. Assim como a inclusão de uma lanchonete/quiosque na parte externa e a adequação de acesso à ponte com inclusão de ciclovia.

A sugestão da Câmara Técnica do Turismo é realizar um concurso entre os acadêmicos da Uniasselvi para elaboração de projetos estruturais das cabeceiras da ponte.

 

Comentários