Amin aceita disputar nova eleição ao Governo

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O Deputado federal Esperidião Amin (PP) lançará o nome como pré-candidato a governador na segunda-feira, 26/02, quando deixará o comando do partido em SC. Em entrevistas ao Jornalista Altair Magagnin do Notícias do Dia, ele se manifestou sobre as Agências de Desenvolvimento Regional.

Classificou como “uma das mais explícitas confissões públicas de erro” que já viu. Pediu uma “penitência” pela “confissão”: “sete anos fora do poder”.

Amin antecipou que lançará a candidatura ao governo do Estado no mesmo ato que passará a presidência do partido ao deputado estadual Silvio Dreveck (PP). Sobre a saída do governo, disse ser uma mostra de que “o MDB não quer gente séria por perto”. 

 

Avaliação de Eduardo Moreira

Um governador interino, do MDB, extinguir, este número emblemático, 15 SDRs, que é o número do MDB, é uma das mais explícitas confissões públicas de erro que eu já vi. Essas agências, esses cabides de emprego, há sete anos o MDB diz que eram bons para o Estado. Durante sete anos, eles mentiram. Agora, toda confissão deve ser acompanhada da penitência.

 “Penitência”?

Mentiram sete anos no governo, a penitência justa, sete anos fora do governo. Isso escancara a falta de escrúpulos do MDB como organização partidária em Santa Catarina. Quando eles vão começar as outras confissões? Da má gestão da Celesc, que o Eduardo Moreira conhece bem, do contrato com a Monreal.

Quando ele vai anular as Letras do Tesouro? Quando vai confessar o erro da Invesc? O MDB fez muitas coisas boas, mas falta confessar essas outras ruins. A mentira da descentralização rendeu até um livro, que está aí emparedado no Judiciário. É o único livro no Brasil que está proibido de circular.

Pré-candidatura

Ao deixar a presidência do partido, vou me colocar à disposição como candidato a governador. Agora, espero que o Jorge Boeira, que o Silvio Dreveck, coloquem o nome também. Não é possível que o PSDB, o PMDB, o PT tenham quatro candidatos a governador cada e nós nenhunzinho. Que partido é este?

Apoio ao PSD

 Nós dissemos e repetimos que a coligação com o PSD é uma coisa natural. O PSD e o PP tem 98% de DNA comum. Não é que as outras coligações não sejam necessárias. Nós apoiamos o Paulo Bauer em 2014, queríamos a mudança, e queremos a mudança agora também. Pode ser o Gelson Merisio? Pode. Pode ser o Paulo Bauer?

Claro que pode. E não pode ser o Esperidião? Nós fizemos voto de castidade? Não podemos lançar candidato a governador? Um dos nossos nomes, Esperidião Amin, está em primeiro lugar na pesquisa. Não pode ser candidato? Não vou dizer que exijo ser candidato, meu nome está à disposição para a disputa de 2018 na chapa majoritária.

Saída do PP do governo

Mostrou que o MDB não quer gente séria por perto. O MDB quer governar ao seu estilo. Estilo intervenção no Rio de Janeiro, onde você entrega o abacaxi para as Forças Armadas e a impunidade para os seus companheiros. Ao governo que quebrou o Rio de Janeiro, a indulgência, a mãozinha na cabeça.

 

Comentários