TJ apresenta resultados da gestão para Vale e Alto Vale do Itajaí

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
 O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Rodrigo Collaço, em mais uma etapa dos encontros regionais que promove com magistrados do interior do Estado, apresentou na última segunda-feira (26/3), nas comarcas polos de Blumenau e Rio do Sul, os primeiros resultados práticos de sua gestão, iniciada em 2 de fevereiro deste ano.

Recentemente aprovados pelo Órgão Especial, os projetos para promover uma experiência piloto com o sistema E-Proc em Santa Catarina, o enxugamento e a readequação de comitês e comissões para a implantação do Conselho de Gestão Jurisdicional, e a reformulação da resolução que estabelece critérios para a contratação de estagiários nos gabinetes e cartórios, por exemplo, deixaram o plano teórico para a realidade na administração do Poder Judiciário.

O projeto que prevê a ampliação de assessores para os juízes, adiantou o presidente, também está bem encaminhado e deve ser aprovado na próxima sessão do Órgão Especial, em 4 de abril. Em breve, aliás, deve entrar em operação a Central de Atendimento ao Magistrado, que realizará interface entre os juízes e a administração no acompanhamento em tempo real de suas demandas. “Nossa intenção é garantir dedicação integral ao fortalecimento da atividade-fim e da prioridade ao 1º grau até o último dia de nossa gestão”, repete o presidente, desde o primeiro encontro regional com juízes, ocorrido na comarca polo de Balneário Camboriú em 19 de fevereiro.

Desde então, sempre ao lado de seu corpo diretivo e acompanhado pela juíza Jussara Schittler dos Santos, presidente da Associação dos Magistrados Catarinenses, Collaço já se reuniu com magistrados das regiões de Joinville, Criciúma e Grande Florianópolis. A lógica dos encontros é informar as diretrizes e os planos da gestão – parte deles já em prática – e auscultar os juízes sobre seus principais anseios e aspirações, através da coleta de sugestões e do registro de reclamações. “Pedimos um olhar diferenciado”, exprimiu a juíza Fabíola Duncka Geiser, titular da 2ª Vara Cível de Timbó, ao resumir praticamente um anseio coletivo de seus colegas do Vale e do Alto Vale do Itajaí.

Em Blumenau, onde se cogita a criação de uma nova vara, o presidente respondeu que se juntará ao corregedor-geral, desembargador Henry Petry Junior, para duas semanas intensivas de estudos sobre a realidade de todas as comarcas e varas do Estado. O trabalho buscará, entre outras informações, quantos servidores nelas estão lotados e quantos processos ingressam e são julgados por unidade. Com um diagnóstico estadual traçado, a administração pretende eleger prioridades para ampliar a estrutura. Nesta etapa do encontro, o desembargador Jorge Luis Borba prestigiou o evento.

Em Rio do Sul, o desembargador Collaço também levou uma informação que serve de alento aos magistrados locais. Depende apenas de análise do Tribunal de Contas a retomada das obras do novo Fórum da cidade, paralisadas depois de rescisão contratual com a empresa que descumpriu os prazos originais. A intenção é que a empresa segunda colocada no certame conclua os trabalhos, que iniciaram em 2011 e deveriam estar concluídos em 2015. Outras questões, como falta de acessibilidade, segurança e servidores, também foram levantadas. O diretor de Engenharia e Arquitetura, Everton William Tischer, e integrantes do recém-criado Núcleo de Segurança e Inteligência Institucional acompanharam a comitiva e responderam aos questionamentos formulados.

Comentários