Prefeitura troca placa e adia obra três vezes

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

A pavimentação da rua São Paulo, no município de Trombudo Central, deveria estar finalizada no dia primeiro de novembro de 2016. Mas a placa obrigatória, que identifica as obras e estipula o prazo de execução foi substituída três vezes. Agora, o prazo final para a conclusão é o dia 30 de

A obra de pavimentação no bairro Jalisco está sendo marcada pela descrença da população, segundo reportagem do Site Portal Teen além do atraso e adiamento constante, moradores apontaram alguma irregularidades na obra,  como boca de lobo em local indevido, água das chuvas entrando em terrenos, postes de energia elétrica abaixo do padrão. Além disso, alguns trechos da calçada estão irregulares e falta o redutor de velocidade, cuja solicitação foram feitas pelos moradores.

A obra, estava prevista para iniciar dia 1 de junho de 2016 com termino em e de novembro do mesmo ano, mas só iniciou em setembro de 2016 com a colocação de alguns tubos para drenagem pluvial. Depois disso, ocorreu à primeira paralisação. O custo inicial anunciado era de R$ 213.099,74 e previa pavimentação, drenagem e sinalização

Na segunda placa,  a data de incio foi alterada para 10/05/2017 e a finalização focou para  7/09/2017.  O custo da obra também sofreu alteração para baixo, R$ 188.101,31. Agora, pela terceira vez, a promessa para finalizar a obra se encerra em 30 de abril de 2018.

Uma lei foi sancionada pela prefeita Geovana Gessner a respeito de obras paralisadas, considera obra paralisada quando as atividades estão interrompidas por mais de 45 dias. De autoria do vereador Marlon Goede ela obriga o Executivo a colocar placas nas obras públicas municipais que tiveram os trabalhos interrompidos. “Essa placa tem como prioridade identificar o motivo da paralisação da obra, o porquê de estar paralisada e também especificar a aplicação do nosso dinheiro naquela obra pública”, explica o vereador.

Neste ano, segundo ele, as obras iniciaram em março, portanto ha mais de 45 dias sem movimentação de operários, que trabalharam até o natal de 2017. A lei  prevê, que além da exposição dos motivos da interrupção, deverá conter na placa o telefone do órgão público responsável pela realização da obra e o prazo que permanecerá paralisada. Além disso, as explicações precisam ser prestadas de forma formal aos vereadores. “Nosso papel como vereadores é fiscalizar e por isso, além de informar a população por meio da placa, o órgão público responsável pela obra deverá publicar no site e no mural oficial do município, o relatório detalhado justificando os motivos da paralisação da obra e enviar esse relatório a câmara de vereadores”, pontua o vereador autor.

O que diz a prefeitura

A reportagem entrou em contato com o setor de planejamento da prefeitura, que garantiu que obra será finalizada dentro do prazo estipulado. E o atraso da obra foi justificado pela “falta de pedras”. Sobre as constantes mudanças das placas, a pessoa responsável não soube responder e passou o contato do Secretário de Administração e Finanças, Geziel Balcker, que foi contatado, mas o celular estava fora de área.

 

Comentários