Morte de macaco faz Taió emitir alerta de febre amarela

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Macaco que morreu em Taió faz secretária emitir alerta sobre possível caso de febre amarela

A morte de um macaco da espécie Bugio, capturado pela Polícia Ambiental na localidade de Ribeirão do Ouro acendeu o alerta da saúde em Taió. O animal foi visto por moradores cambaleando, a Polícia Ambiental foi acionada e o bicho o foi encaminhado para exames no sábado de manhã. Em seguida a prefeitura de Taió divulgou um áudio, da responsável da vigilância epidemiológica, Virginia Black do Prado.

A secretaria informou que os indícios preliminares indicam que a morte pode ter sido causada pela picada de um mosquito transmissor infectado com Febre Amarela, no entanto reforçamos que a informação ainda não está confirmada.

Nesta segunda-feira (1), a equipe de vacinação fará ação específica de imunização na localidade com visita em todas as casas. A nota lembra que o macaco não é um animal transmissor da doença e sim uma vítima assim como os humanos. E a morte desconhecida desses animais indica o alerta.

Comunicado 

A Prefeitura de Taió, por meio da Secretaria Municipal de Saúde e da Vigilância Epidemiológica informa ser verdadeira a informação de que um macaco, da espécie Bugio, foi encontrado morto na localidade do Ribeirão do Ouro, porém ainda não é possível precisar a causa da morte do animal.

Autoridades como Polícia Ambiental e biólogos foram acionados, amostras de material genético foram coletadas e encaminhadas para o LACEN em Florianópolis.

Os indícios preliminares indicam que a morte pode ter sido causada pela picada de um mosquito transmissor infectado com Febre Amarela, no entanto reforçamos que a informação ainda não está confirmada.

O momento é de atenção, na segunda-feira (1), a equipe de vacinação fará ação específica de imunização na localidade com visita em todas as casas. Lembramos que o macaco não é um animal transmissor da doença e sim uma vítima assim como os humanos. A morte desconhecida desses animais indica o alerta.

Importante ressaltar que a campanha de vacinação segue normalmente no Município e no próximo sábado será realizado mais um Dia D (o terceiro desde que a campanha começou).

Até o momento metade da população que precisa da dose foi imunizada. Além das salas de vacina, foram realizadas ações como visitas em empresas, escolas e repartições públicas.

Devem se vacinar pessoas com idade entre 9 meses e 59 anos, sendo que é necessário apenas uma dose para garantir a imunização durante toda a vida. É importante verificar a carteira de vacinação, os que ainda não foram imunizados deve buscar a vacina acompanhados do documento.

 

Um vídeo circulou por grupos de WhatsApp junto com informações sobre o caso de Taió. Porém, não é possível conferir a data e local da filmagem. Nem se é o mesmo animal recolhido pela Policia Ambiental. 

Es

Comentários