Vereadores debatem dívidas do município de Taió com Hospital Regional

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Sem divergências, o projeto que veio do executivo para normalizar o atendimento de taioenses em Rio do Sul foi aprovado, em primeira votação, por unanimidade, pelos vereadores de Taió: R$ 120 mil, em parcela única, para o Hospital Regional Alto Vale. São recursos, segundo o texto, que em partes sairão do Fundo Municipal de Saúde.

Os vereadores analisaram inicialmente, na reunião da Comissão Permanente de Justiça e Redação, pouco antes da sessão desta segunda-feira, 1º de abril, a planilha de 132 folhas, enviada pela direção do hospital com a relação detalhada dos pacientes atendidos no período de 2014 e 2018, quando se tomou a decisão de levar o projeto para votação no plenário da casa.

“Por não haver impeditivo legal para a proposta, a Comissão opinou unanimemente pela constitucionalidade, juridicidade e técnica legislativa e, no mérito, pela aprovação do projeto, fazendo a ressalva de que antes o projeto seja encaminhado para o plenário para deliberação dos demais vereadores”, recomendaram os vereadores Eduardo Poffo, Klaus Dieter Diel e Jair Alberto das Neves, integrantes da comissão.

Temos a responsabilidade em atender”

Em março, na sessão do dia 11, o diretor do Regional, Giovani Nascimento, revelou que ainda há uma demanda de pessoas que se desloca a Rio do Sul por conta própria sem um quadro de saúde que justifique uma urgência e emergência. “Temos a responsabilidade de atender na classificação de risco na tarja vermelha e laranja”, justificou.

Entre os dados apresentados na sessão à época, Taió ocupava a 12ª posição em assistências médicas da instituição, com mais de 90% de casos de baixa complexidade, que poderiam ser resolvidos dentro do município. O Regional possui 194 leitos e tem uma média de ocupação de 71%.

Dados detalhados

A planilha analisada pelos vereadores traz, em 132 páginas, informações sobre aproximadamente 2,3 mil atendimentos, com nome do paciente,data de nascimento, número do prontuário, nome do médico e até a data e hora de entrada e saída. Um taioense internado em outubro de 2014, por exemplo, ficou 19 dias sob os cuidados do hospital no convênio SUS/Pronto Atendimento, com entrada às 19h18 do dia 3 e saída às 16h38 do dia 22.

A maioria dos atendimentos, entretanto, são de pessoas que ficam apenas algumas horas e, em muitas situações, poucos minutos. Segundo o hospital, a média anual de internações é de 930 pessoas num universo de pelo menos 32 municípios.

Comentários