Justiça condena três pessoas por corrupção na SDR

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O Ministério Público obteve a condenação de Jones Bósio, ex Diretor-Geral e ex-Secretário de Estado de Desenvolvimento Regional de Brusque, de Vendelino Bósio, pai de Jones, e do empresário Cristiano Cunha pelo crime de corrupção. Os três réus foram condenados a penas individuais de três anos, um mês e 10 dias de prisão em regime aberto, substituída por prestação pecuniária e prestação de serviços comunitários.

A denúncia relata que em 2011, a Secretaria contratou, mediante dispensa de licitação, a empresa Alfa Terraplanagem e Locação de Máquinas para retirada de barro de residências afetadas pela enchente que ocorreu no município naquela época. O valor da contratação, foi de R$ 999.997,24. Desse valor, R$ 7 mil foram repassados diretamente da conta da empresa para a conta de Jones Bósio.

Ocorre que a empresa, apesar de estar em nome de Cristiano Cunha, era efetivamente controlada pelo pai do diretor da SDR, Jones, Vendelino Bósio. Para garantir que fosse esta a empresa a prestar o serviço, o então Diretor-Geral convidou outras duas empresas para orçar o serviço, também ligadas à sua família, que apresentaram valores superiores.

Além destas duas ações Jones Bósio responde a outras 15 ações por atos de improbidade administrativa e a 19 ações penais por ilicitudes cometidas no exercício do cargo de Secretário de Desenvolvimento Regional de Brusque e mais uma ação por improbidade e uma ação penal por atos praticados como funcionário da Prefeitura.

 

FOTO ILUSTRATIVA
Comentários