Municípios recebem Sala para apoiar o combate à covid-19

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

A SSD é resultado do trabalho colaborativo desenvolvido pelo Núcleo de Intersetorial de Inteligência de Dados para a Covid-19 (NIID-C19), integrado pelo MPSC, Governo do Estado, Social Good Brasil (SGB), Laboratório Engin/UFSC, Associação Catarinense de Medicina (ACM), Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina (CIASC), Data Science Brigade, Aquarela Data Analytics e Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (COSEMS/SC).

Em uma cerimônia virtual na tarde desta terça-feira (15-7), foi entregue aos gestores municipais a Sala de Situação Digital (SSD) Covid-19, um ambiente que reúne diversos produtos de inteligência de dados que possibilitam aos municípios um maior controle sobre as informações a respeito da pandemia e embasamento para a tomada de decisão quanto às medidas de combate ao avanço do novo coronavírus em Santa Catarina.

A SSD está hospedada no ambiente “Lista de Espera SUS”, do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), que já é acessada por todos as Secretarias Municipais de Saúde (veja no quadro abaixo da notícia as ferramentas de dados disponibilizadas na sala digital). A ferramenta é resultado do trabalho colaborativo do Núcleo de Intersetorial de Inteligência de Dados para a Covid-19 (NIID-C19), integrado pelo MPSC, Governo do Estado, Social Good Brasil (SGB), Laboratório Engin/UFSC, Associação Catarinense de Medicina (ACM), Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina (CIASC), Data Science Brigade, Aquarela Data Analytics e Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (COSEMS/SC).

Participaram da videoconferência integrantes e representantes de todas as organizações envolvidas no projeto, além de Secretários de Saúde de vários municípios.

O Subprocurador-Geral de Justiça para Assuntos Institucionais do MPSC, Promotor de Justiça Alexandre Estefani, parabenizou a todos os organismos e às pessoas envolvidas pelo desenvolvimento dessa ferramenta em prazo tão exíguo.

Fernanda Borhausen, do Social Good Brasil, salientou o desafio de coordenar uma equipe de mais de 100 pessoas, que trabalharam voluntariamente para tornar a sala de situação digital uma realidade.

O Secretário de Estado da Administração, Jorge Tasca, destacou a importância de trabalhar baseado em dados em um momento de tantas incertezas.

A Juíza Auxiliar da Presidência do TJSC, Carolina Ranzolin Nerbas Fretta, falou sobre a importância de contribuir com os dados estruturados do Tribunal de Justiça para o desenvolvimento de uma ferramenta que ajudará a sociedade neste momento tão difícil.

Para a Consultora de Gestão de Saúde da FECAM, Maria Regina Soar, a sala de situação irá preencher uma lacuna sempre sentida pelos gestores municipais: a falta de dados confiáveis e atualizados para a tomada de decisões.

Uma ferramenta também para a fiscalização das políticas públicas

Segundo o Coordenador do Centro de Apoio Operacional da Cidadania e Direitos Humanos (CDH) do MPSC, Promotor de Justiça Douglas Roberto Martins, “a ferramenta permite acompanhar os dados que revelam o avanço da epidemia no estado e o impacto que as medidas adotadas na condução da política pública estão tendo sobre os números. A capacidade de planejamento e fiscalização da política pública é diretamente proporcional ao volume de informações e conhecimento acumulado que se tem sobre o avanço da doença e o processo de combate, o que destaca a relevância da sala de situação e das ferramentas nela contidas”.

MPSC contribuiu com a tecnologia dos painéis

Coube ao MPSC, além de manter o ambiente, ceder a tecnologia e desenvolver os painéis de business intelligence (BI) que “traduzem” os dados para gráficos que formam uma espécie de relatórios visuais, os quais não só o diagnóstico em tempo real da situação da covid-19 em cada município e região, como também a visualização da evolução do contágio e a projeção de cenários futuros da progressão da pandemia. 

O Gerente de Ciência de Dados do MPSC, Rodrigo Figueiredo Brelinger, explica o papel do MPSC no desenvolvimento dos painéis e da SSD: “A participação do MP no grupo, com a cessão de tecnologia e recursos humanos, demonstra cada vez mais o nosso papel resolutivo, de trazer resultados úteis para a sociedade. Além de fiscalizar o enfrentamento da pandemia, o MP está apoiando os municípios com dados para tomada de decisão”. 

Os dados são alimentados continuamente pelos diferentes sistemas que integram o SUS e os envolvidos na área da saúde, o que permite um retrato em tempo real da doença e de seus impactos sobre a infraestrutura de atendimento. 

Liliana Oneda, programadora do Setor de Inteligência de Negócio do MPSC, fala sobre a metodologia empregada para o desenvolvimento dos painéis e a atualização dos dados: “Os painéis foram desenvolvidos com o auxílio de uma ferramenta de visual analytics, tecnologia que permite agregar dados de diferentes bancos e tratá-los para a apresentação visual – como gráficos e mapas, por exemplo -, o que proporciona a compreensão e a análise das informações de maneira muito mais rápida e fácil, auxiliando na tomada de decisão imediata e na projeção de um cenário a curtíssimo prazo com base nos possíveis reflexos da situação atual. Os dados apresentados são consolidados diariamente pelo Boavista (datalake do Estado de SC), por volta das 16h, e em seguida ocorre a atualização dos painéis”. 

O Núcleo Intersetorial de Inteligência de Dados para a COVID-19 (NIID-COVID-19)

No início da pandemia, foi criada uma força-tarefa intersetorial composta pelo Governo do Estado, Tribunal de Justiça (TJSC), Ministério Público (MPSC), Social Good Brasil (SGB), Laboratório Engin/UFSC e Associação Catarinense de Medicina (ACM) para trabalhar com inteligência de dados para o enfrentamento da covid-19. Uma das ações foi a criação do Núcleo Intersetorial de Inteligência de Dados para a Covid-19 (NIIDC), conforme sugestão do Social Good Brasil – organização não governamental precursora no Brasil do uso de tecnologia e dados para ajudar na solução de problemas sociais. Após a criação e o início dos trabalhos, também passaram a integrar o NIIDC o Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina (CIASC), a Data Science Brigade, a Aquarela Data Analytics e o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (COSEMS/SC).

Em três meses de esforço intenso, a equipe do NIIDC trabalhou no desenvolvimento de ferramentas de dados descritivas, preditivas e de governança que pudessem auxiliar os agentes públicos na tomada de decisão, na escolha de medidas de combate ao avanço da pandemia e na preparação das estruturas de saúde para o enfrentamento da situação de excepcionalidade que ora vivenciamos. Essas ferramentas também oferecem transparência à sociedade e empoderam os cidadãos.

Com o Decreto Estadual n. 630/2020, o Governo do Estado de Santa Catarina regionalizou as ações de enfrentamento à pandemia e passou a compartilhar com os municípios a responsabilidade pela implementação de medidas de combate à crise social, econômica e de saúde.

Objetivando apoiar os municípios no controle da pandemia e na tomada de decisão, o NIIDC criou a Sala de Situação Digital, onde foram centralizadas as ferramentas de inteligência de dados desenvolvidas até o momento.

Dados anonimizados

Todos os dados utilizados são anonimizados, ou seja, não é possível identificar nem rastrear a identidade da pessoa, o que atende aos protocolos internacionais e nacional de proteção de dados.

É importante destacar que todas as ferramentas foram desenvolvidas com base em um banco de dados anonimizados integrado na plataforma de Big Data BoaVista do CIASC, com informações originadas dos sistemas eSUS-VE, SIVEP/Gripe, GAL, Laboratório Central e Sistema de Informações sobre Mortalidade (Óbitos DataSUS), além das notificações obtidas a partir de resultados de exames de covid-19 realizados por laboratórios privados no Estado de Santa Catarina.

Assim, os dados apresentados nas ferramentas disponibilizadas são resultado da alimentação dos referidos sistemas, feita pelos profissionais de saúde de cada município. Portanto, a qualidade das informações depende do esforço conjunto de todas as equipes de saúde dos municípios, e o aperfeiçoamento das ferramentas é uma via de mão dupla, de modo que qualquer inconsistência nas informações deve ser reportada para que se possa identificar a sua origem.

Para auxiliar no manejo e na utilização das ferramentas, as secretarias poderão contar com o apoio da equipe de técnicos apoiadores do COSEMS, e os canais para as informações necessárias estão no site https://www.cosemssc.org.br/regioes_de_saude/. Os apoiadores do COSEMS participaram de três capacitações para a utilização da SSD e dos seus produtos de inteligência de dados.

Além disso, na SSD também estão disponíveis três vídeos com as capacitações que foram ministradas aos técnicos do COSEMS e que podem ser acessados pelas equipes de saúde dos municípios, com informações de como utilizar as ferramentas e fazer as análises.

O conjunto das ferramentas disponibilizadas na SSD possibilita ao gestor municipal ter uma visão completa de inteligência de dados sobre o que aconteceu, a situação atual e as projeções para os cenários futuros, para o seu município, região e para todo o estado. Isso é possível pois as ferramentas de inteligência de dados são totalmente interativas e de fácil manejo.

Comentários