Celesc vai trocar fiação para diminuir quedas de energia

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O Programa Celesc Rural pretende auxiliar produtores rurais do estado, substituindo as redes atuais por cabos protegidos. Serão cerca de 1.000 obras em cerca de 2.500 quilômetros em Santa Catarina.

O investimento no Programa, que vai ate 2021, é de mais de R$ 151 milhões, sendo que R$ 81 milhões já foram licitados e as obras iniciadas para construção das redes compactas com cabos protegidos.

Na região do Alto Vale, serão investidos R$ 34,7 milhões para atender 17.333 clientes.

Já executados e em obras : 621,54 Km, sendo um total de 882,23 Km em áreas dos municípios de Agrolândia, Apiúna, Atalanta, Aurora, Benedito Novo, Botuverá, Brusque, Chapadão do Lageado, Doutor Pedrinho, Ibirama, Imbuia, Ituporanga, Leoberto Leal, Lontras, Luiz Alves, Petrolândia, Pouso Redondo, Presidente Getúlio, Presidente Nereu, Rio do Campo, Rio do Sul, Rio dos Cedros, Salete, Trombudo Central, Vidal Ramos e Vitor Meireles

O Celesc Rural foi lançado em 2019 para atender antigas reivindicações dos produtores rurais e reforçar as redes de distribuição de energia no campo.

No Celesc Rural, novas redes trifásicas com cabos compactos protegidos permitirão a instalação de equipamentos mais potentes e modernos para as atividades rurais, contribuindo para o aumento da produção e trazendo uma nova realidade para os produtores e para o agronegócio catarinense.

A instalação de novas redes monofásicas com cabos protegidos, assim como as novas redes trifásicas, garantirão maior confiabilidade ao produtor rural, pois este novo padrão de rede garante a continuidade da distribuição de energia elétrica mesmo quando tocado por vegetação, o que não ocorria com os cabos nus. Outro investimento sendo realizado, tanto no campo quanto na área urbana, ocorre com a instalação de religadores, que energizam automaticamente as redes em caso de queda não programada da energia. Quando finalizadas as instalações destes equipamentos, ainda em 2020, haverá um incremento de cerca de 120% de religadores no sistema elétrico da Celesc.

A seleção das localidades por onde passa o traçado da rede trifásica é realizada a partir de análise técnica realizada pela Celesc, que considera a necessidade de um sistema elétrico com mais qualidade para o fomento da produção e o atendimento simultâneo do maior número de unidades consumidoras.

A partir da construção do novo padrão das redes, os interessados em ter o sistema trifásico deverão solicitar à Celesc a instalação do transformador trifásico e da rede de baixa tensão entre a nova rede e sua propriedade. Em regiões, onde já foram instaladas estas redes, a redução no número de interrupção caiu cerca de 90% , como foi o caso do Alto Vale. Já a ação de substituição de cabos monofásicos nus por cabos monofásicos protegidos aumentou em 95% a confiabilidade do sistema, mesmo com a presença de vegetação.

Quanto aos religadores, serão investidos cerca de R$ 38 milhões, entre 2019 e 2020, na compra e instalação de cerca de 2.100 equipamentos para as áreas rurais e urbanas.

 

Comentários