Hospital Regional aguarda credenciamento para operar UTI

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

A ativação dos 10 novos leitos da Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Regional Alto Vale de Rio do Sul está na dependência apenas do credenciamento por parte do Ministério da Saúde.

O pleito foi encaminhado aos deputados federais Rogério Peninha Mendonça e Carmen Zanotto, que preside a Frente Parlamentar Mista da Saúde. Os 15 monitores produzidos pela Philips, chegaram nesta terça-feira (21). Outros quatro da GE para o Centro Cirúrgico, tinham sido entregues anteriormente. No total foram investidos R$ 817,6 mil. A UTI já tinha sido montada com a colocação dos equipamentos, que ficam como eventual substituição.

A equipe que atuará no setor está em fase de treinamento.
O 1º vice-presidente da Fundação de Saúde do Alto Vale do Itajaí, Vilson Schulle, colocou que a entidade não tem como prever o tempo que o ministério dará o credenciamento.

O primeiro passo foi o envio da documentação para a Secretaria Municipal de Saúde local, na qualidade de gestora, que faz a solicitação ao governo do Estado, antes do encaminhamento a Brasília. “Acreditamos que o trâmite seja breve até porque estão faltando faltar leitos de UTI em várias regiões”. No Hospital Regional a situação está sob controle. Nesta terça-feira três pacientes com COVID-19 confirmados estavam internados na unidade. O hospital é credenciado apenas para receber dois, mas já chegou a ter seis.

Schulle destacou que o hospital fez aquisições no dia 29 de abril, data que a prefeitura fez o repasse dos recursos do Ministério da Saúde, mediante o plano de aplicação. “Naquela época os forneceres já nos alertaram que o prazo de entrega seria entre 60 a 90 dias e isso acabou acontecendo”. “Com a pandemia em todos os continentes as indústrias não tiveram condições de abastecer o mercado”. Com a chegada das camas e dos respiradores na sexta-feira, a UTI de Rio do Sul está em condições de atender. “Sempre deixando claro que depende da liberação do credenciamento, sem o qual não temos condições de receber os valores pelos serviços prestados”, complementou.

A equipe que vai atuar na nova UTI do Hospital Regional Alto Vale de Rio do Sul continua passando por treinamento. Na manhã desta terça-feira, um técnico da empresa que produziu as camas orientou sobre os procedimentos do manuseio. As camas são elétricas e de alta tecnologia, que proporciona mais facilidade no atendimento dos pacientes. O custo total foi de R$ 380 mil.

 

Comentários