Sala de tomografia é confirmada pela “milésima” vez em Taió

Desde 2017, políticos se revezam para anunciar a “confirmação” ou a "garantia" de recursos, mas nenhum tijolo foi erguido até agora.

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Desde 2017, políticos de diversos partidos, de esfera municipal, estadual e federal, se revezam para anunciar a “confirmação” ou a “garantia” de recursos na ordem de R$ 250 mil, para o mesmo objetivo.  A construção de uma Sala de Tomografia e Densitometria Óssea, no Hospital e Maternidade Dona Lisette. Só que a obra, segue sem nenhum tijolo levantado, e para piorar, a sala, está muito longe de ser concretizada. 

 A saúde de Taió passa por um momento especial e histórico”, dizia a primeira linha de uma reportagem daquela quarta-feira, o dia 16 de agosto de 2017.  “Mais uma excelente notícia veio complementar ainda mais esse momento: O Hospital e Maternidade Dona Lisette (HMDL), através do Governo do Estado, recebeu um aparelho de Densitometria Óssea e um Tomógrafo Computadorizado” continuava o texto. 

Na foto que ilustrava a matéria, aparece todo mundo feliz.  Um ano depois, em julho de 2018, a Câmara de Vereadores de Taió, anunciou  o repasse de  R$ 115 mil para a Prefeitura, parte do recurso, seria para a implantação da Sala.

Em abril, o vereador Capilé lembrou que uma emenda parlamentar , no valor de R$ 138 mil, para a preparação da Sala de Mamografia, recursos que foram  viabilizados através do deputado estadual Maurício Eskudlark.

Em novo anúncio no mês de outubro de 2018, o prefeito Almir Guski, justificou que os equipamentos não foram colocados à disposição do hospital devido a atrasos em alguns projetos “pois as obras precisam obedecer os requisitos estabelecidos pela Vigilância Epidemiológica do Estado de Santa Catarina e não foi possível fazer isso em tempo viável.” 

Nada foi feito naquele ano. A promessa ficou para 2019. Só que não foi cumprida, mais uma vez.

Uma comitiva de Taió, viajou para Florianópolis no dia 8 de julho de 2019 e se reuniu com representantes do Tribunal de Contas do Estado (TCE), para tratar do repasse financeiro do Município para viabilizar a construção da Sala de Tomografia e Densitometria Óssea, no Hospital e Maternidade Dona Lisette.

A reunião foi intermediada pelo o deputado estadual Jerry Comper. Além do prefeito Almir Reni Guski, a secretária municipal de Saúde, Rozi de Souza, o advogado do Município, Cleonir Matteucci e o vereador Klaus Dieter Diel completaram a comitiva. 

Passados três anos, com os recursos garantidos, nova promessa. Desta vez a reportagem sugere que a garantia do recursos só foi possível, após solicitação de Valmir Pires de Lima “Taliano”, ex-assessor do deputado Nilso Berlanda, que teve uma expressiva votação na cidade, juntamente com os vereadores Tiago Maestri e Jaci de Liz, foi confirmado a destinação de 250 mil reais para a sala de tomografia.

Os três, que prometeram a promessa já prometida, vão disputar cargos públicos nas eleições municipais de 15 de novembro. No anúncio,  consta ainda, que a conquista do valor também tem o apoio do ex-prefeito Nelson Goetten de Lima. Ninguém esclareceu até agora, sobre o andamento da  obra ou o prazo para a sua conclusão. 

Por:  alex.salvador@folha.com.br

Aparelhos de tomografia e densitometria óssea foram recebidos em 2017.
Comentários