Vivo, Claro e TIM oferecem 16,5 bilhões pela OI, que deve 65 bilhões

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O consórcio formado pela TIM Participações, Telefônica Brasil (Vivo) e Claro Telecom Participações fez uma nova oferta pela área de telefonia móvel da Oi. O grupo acrescentou R$ 1,4 bilhão no valor apresentado há 10 dias, passando de R$ 15,1 bilhões para R$ 16,5 bilhões.

A proposta inicial foi feita com o valor mínimo pedido no leilão. Mas a Highline, financiada pelo fundo Digital Colony, fez uma oferta maior. A Oi fechou acordo com a Highline em 23 de julho de 2020, o que não significa a conclusão da venda. É 1 acerto de que a Oi seguirá as tratativas com a Highline até 3 de agosto. Com o aumento do valor oferecido pela Claro/TIM/Vivo/, a Highline precisa decidir se faz nova oferta ou desiste da compra.

O consórcio ainda acrescentou na proposta a possibilidade de assinar contratos de longo prazo para uso de infraestrutura com o Grupo Oi. Caso vençam, cada uma das empresas vai receber uma parte do negócio.

A Oi é a 4ª maior operadora móvel do país. Originou-se EM 2008, da fusão da Brasil Telecom com a Telemar. Para que essa fusão fosse feita, o governo teve de mexer na legislação – havia uma série de entraves legais ao negócios.Diante de problemas de gestão, pediu recuperação judicial em 2016 e, desde então, tenta equacionar sua situação financeira.

Em 2013, também com uma ajuda do governo, a Oi, já em dificuldades, se uniu à Portugal Telecom. A ideia foi vendida, à época, como uma forma de criar uma multinacional de língua portuguesa capaz de concorrer até em outros continentes. Mas nada disso deu certo, a dívida da empresa não parou de subir e acabou culminando na recuperação judicial

 

RECUPERAÇÃO JUDICIAL

A Oi passa pelo maior processo de recuperação judicial da história do país. Suas dívidas ultrapassam R$ 65,1 bilhões, com mais de 55.000 credores. Entenda a derrocada da empresa.

O pedido de recuperação judicial foi feito em 20 de junho de 2016. A 1ª versão do plano foi apresentada em 5 de setembro de 2016. Os termos estão em negociação desde então. Com inúmeros impasses entre credores nacionais, internacionais e acionistas, o governo chegou a analisar a possibilidade de intervenção na companhia.

O consórcio formado pela TIM Participações, Telefônica Brasil (Vivo) e Claro Telecom Participações fez uma nova oferta pela área de telefonia móvel da Oi. O grupo acrescentou R$ 1,4 bilhão no valor apresentado há 10 dias, passando de R$ 15,1 bilhões para R$ 16,5 bilhões.

FONTE: PODER 360

 

Comentários