Hospital Regional vai restringir procedimentos cirúrgicos

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

A partir de segunda-feira (dia 3) o Hospital Regional de Rio do Sul vai suspender todos os procedimentos cirúrgicos, tanto SUS, quanto convênios e particulares, que não se enquadrem como urgência ou emergência de fato. A decisão foi tomada nesta quarta-feira (dia 29) em reunião da Fundação de Saúde do Alto Vale do Itajaí, gestora da instituição.

De acordo com o diretor-técnico, médico Marcelo Vier Gambetta, com o aumento do número de internações de pacientes suspeitos ou confirmados com a COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus, a estrutura do quinto andar precisará ser ativada.

A ocupação dos leitos de enfermaria variava entre quatro e sete pacientes, mas esse número dobrou nas últimas 24 horas. “A nova Unidade de Terapia Intensiva, com 10 leitos, aberta na segunda-feira, já está com 70% de ocupação”, observou Gambetta. Com o aumento das internações haverá a necessidade de deslocar equipes que atuam no sétimo andar e no Centro Cirúrgico. “Está muito difícil a contratação de profissionais e a ideia é que reduzindo o número de procedimentos cirúrgicos parte deste pessoal, que atua no sétimo andar e no centro cirúrgico, possa ser aproveitada na unidade da COVID”.

Gambetta disse que ficou surpreso com a taxa de ocupação da nova UTI, que abriu na segunda-feira, e já está com 70% dos leitos comprometidos. “Isso é uma situação que nos preocupa e por isso a direção tomou essa decisão de suspender todas as cirurgias, exceto urgências e emergências”. “Num primeiro momento a medida pode ser considerada como drástica, talvez impopular, mas de grande importância, para que possamos remanejar recursos humanos”, acrescentou o diretor-técnico.

O Hospital Regional, na avaliação de Gambetta, precisa estar preparado para o aumento de número de casos. “Podemos perceber que a média diária de novos casos em Rio do Sul tem sido acima de 20 e com certeza num momento deve refletir num maior número de pacientes graves que vão necessitar de internação”. Ele lembrou que a casa de saúde atende outros 27 municípios do Alto Vale do Itajaí. “Isso também é um fator preocupante”.

Comentários