Furto de energia em Ibirama e Witmarsum vira caso de polícia

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Funcionários da Celesc constataram furto de energia elétrica, também conhecido como “gato na rede” e acionaram a Policia Militar.

Eles flagraram nesta quarta-feira (29/07), três casos de furto de energia elétrica em estabelecimentos comercias que vão respoder pelo crime de estelionato.  Um caso foi registrado em Witmarsum e outros dois foram flagrados em Ibirama. Os responsáveis responderão judicialmente conforme a legislação federal.

Também não se deve esquecer que gato é crime, previsto no Art. 155 do Código Penal Brasileiro, que dispõe: Subtrair, para si ou para outrem, coisa alheia móvel: pena de reclusão, de 1 (um) a 4 (quatro) anos, e multa.

Outro ponto muito importante é o risco à segurança, pois normalmente as pessoas que instalam os ‘gatos’ não têm qualificação técnica e não usam equipamentos de segurança. Ou seja, além de cometer ato ilegal, ainda podem sofrer choques elétricos, alguns até fatais.

A fraude na rede de energia não traz perda somente para a Celesc. Ela também é prejudicial para:

  • ​Os consumidores regulares, já que, no rateio dos custos que compõem a tarifa, todos pagam pela energia utilizada;
  • Toda a sociedade, pois as ligações clandestinas podem sobrecarregar a rede elétrica, impactando diretamente no fornecimento de energia;
  • O estado, que deixa de arrecadar o ICMS do consumo de energia elétrica não medido (fraudado) e não faturado pela Celesc. Sem recolher o ICMS, há menos recursos para investimentos e, em consequência, menos qualidade de vida para o cidadão.

Exerça sua cidadania e denuncie fraudes e irregularidades! Veja como fazer:

Comentários