Alto Vale segue em nível gravíssimo para covid 19

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O Estado de Santa Catarina, divulgou e Informativo atualizado das regiões com os níveis de risco da Covid 19. A região do Alto Vale do Itajaí, segue pela quarta semana consecutiva, com risco gravíssimo. Na tarde desta quinta-feira, 20/08, prefeitos e gestores da saúde dos 28 municípios que compõem a Amavi realizam uma reunião por videoconferência para tratar do assunto. 

Eles também devem propor novas mudanças nas regras para conter o avanço da pandemia. 

Resumo da Matriz de Risco Epidemiológico – 18/08/2020

São 9 Regiões no Gravíssimo, o que representa 56% das regiões de saúde em situação de risco.

Subiu de faixa de risco: Uma região foi reclassificada do Risco Grave para *Gravíssimo – é ela o Oeste

Continuam no estado de alerta máximo: Alto Vale do Itajaí; Alto Vale do Rio do Peixe; Carbonífera; Foz Do Rio Itajaí; Meio Oeste; Nordeste; Serra Catarinense e Xanxerê

São 7 Regiões no Grave, o que representa 44% das regiões de saúde em situação de risco:

Desceram de faixa de Risco: quatro regiões foram reclassificadas do Gravíssimo para o Grave – são elas: Alto Uruguai Catarinense; Extremo Sul Catarinense; Grande Florianópolis e Laguna*;

Continuam no estado de alerta: Extremo Oeste; Planalto Norte e Médio Vale Do Itajaí. É importante observar que a maior parte das regiões estão no índice 3, ou seja, próximo a mudança para o nível de gravidade máxima

Considerações:

▪️ Todas as regiões de saúde estão no nível gravíssimo com relação a Dimensão Isolamento. Houve uma leve redução de 5,82% na quantidade de casos ativos de uma semana para outra, passando de 10.563 para 9.948. Entretanto, essa mudança não reflete na diminuição da gravidade das regiões. A Taxa de transmissibilidade, segundo o modelo epidemiológico, está em 1,34 indicando possibilidade de crescimento exponencial da transmissão.

▪️Preocupação com elevada capacidade de ocupação dos leitos de UTI. São nove regiões no gravíssimo e cinco no Grave, ou seja, maior parte das regiões possui altas taxas de ocupação. Em 18/08/2020 a capacidade ocupada de Leitos de UTIs usada no modelo era de 75%.

 

Comentários