Cinco deputados vão decidir futuro do Governo de SC

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Os deputados Laercio Schuster (PSB), Luiz Fernando Vampiro (MDB), Kennedy Nunes (PSD), Maurício Eskudlark (PL) e Sargento Lima (PSL) foram eleitos para ocupar as cinco vagas da Assembleia Legislativa de Santa Catarina no Tribunal Misto do Impeachment, que julgará o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) e a vice-governadora Daniela Reinehr (sem partido) pelo suposto crime de responsabilidade no reajuste salarial dos procuradores do Estado. A votação ocorreu durante a sessão ordinária desta quarta-feira (23).

A eles, vão se unir os desembargadores Claudia Lambert, Rubens Schulz, Sérgio Rizelo, Carlos Alberto Civinski e Luiz Felipe Siegert Schuch, cujos nomes foram sorteados em sessão extraordinária do Pleno do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), realizada simultaneamente à votação na Alesc.

A reunião de instalação do tribunal misto está marcada para a próxima sexta-feira (25), às 10 horas, no Plenário Deputado Osni Régis, na Assembleia Legislativa. O encontro será presidido pelo desembargador Ricardo Roesler, presidente do TJSC, e nele será escolhido o relator do processo.

Placar
Sargento Lima, Eskudlark e Vampiro receberam 30 votos cada. Kennedy Nunes teve 29 votos, enquanto Laercio recebeu 25 votos. As bancadas do MDB e do PSD fecharam pelo voto nos nomes dos cinco eleitos.

Dos 40 deputados, 38 votaram. Ricardo Alba (PSL) estava ausente no momento da votação e o presidente da Alesc, Julio Garcia (PSD), se absteve de votar nas cinco indicações.

Antes do início da votação, os deputados Altair Silva (PP) e Paulinha (PDT) pediram para não ser votados. A parlamentar argumentou que, na condição de líder do Governo, não se sentiria à vontade em participar do tribunal misto.

Em contrapartida, Dr. Vicente Caropreso (PSDB) e Marcius Machado (PL) expressaram a vontade de compor a comissão julgadora e colocaram seus nomes à disposição, apesar de não haver a previsão de candidaturas ou da formação de chapas para a eleição. Dr. Vicente recebeu 11 votos, enquanto Marcius teve sete.

Comentários